sábado, 7 de novembro de 2009

TPM


- Daí que eu fico pensando que, se essa história é um erro, ela não deveria continuar. Daí eu penso que o que mais tem nessa vida, é erro. E erros, de certa forma, nos ensinam a fazer a coisa certa. Mas a coisa que parece certa nem sempre é certa, assim como o caminho mais curto nem sempre me faz chegar mais cedo no trabalho e eu invariavelmente me perco de propósito, só pra saborear as amoras, madurinhas, no topo da árvore que fica na esquina de duas ruas perto daqui. E fruta madura sempre me lembra você. Não pelo maduro, obviamente. Pelo doce. Pelo amor de amora, que começa doce e fica amargo. E a vida não é isso? Uma sucessão de doces e amargos e agridoces? E será que eu não consigo chegar a um consenso sobre o que penso, sinto e sinto que penso? Olha só, eu não cheguei a conclusão nenhuma. Como se rompantes de ideias mirabolantes e torrentes de pensamentos conseguissem se fundir em uma conclusão. Ai, hoje ainda tem entrevista de estágio. Eu tinha que estar ensaiando o que vou falar. Não que eu não consiga me expressar bem. Sempre fui muito boa em oratória, aliás, eu fui a oradora da minha turma de terceiro ano. Tá, se eu falasse tão bem, não falaria tão rápido. E nem gaguejaria. E nem ficaria com as pernas trêmulas e os pés dormentes. Como sempre acontece quando eu falo com você. Corpo humano é uma coisa esquisita; é o primeiro voluntário pro involuntário. Eu deveria... Eu? Eu, nada! Você deveria e deve, aliás. Desamarra essa careta e me beija de uma vez.

12 comentários:

Marcelo Mayer disse...

minhas ex-namoradas viviam falando que isso era Tensão Pré Marcelo. sei lá se as faziam pensar como seu texto, que por sinal, muito bem escrito

Henrique Miné disse...

ahah.

se ele conseguir, com tanta falação assim.

:b


beeeijos.

Polly disse...

Olha, eu achei seu post fofo demais! E ameeei o trecho: "E erros, de certa forma, nos ensinam a fazer a coisa certa".


(www.pollyok2.zip.net)

Desmanche de Celebridades disse...

"é o primeiro voluntário pro involuntário".

Perfeito isso!

E sobre o texto.....tem sentimentos e vontades q a oratória não da conta né!?
Abraços.

Erica Ferro disse...

"E a vida não é isso? Uma sucessão de doces, amargos, e doces amargos?"

É sim!

Você sabia que, quando leio seus textos, só me lembro da Clarice Lispector?

"Meu erro, no entanto, devia ser o caminho de uma verdade: pois só quando erro é que saio do que conheço e do que entendo. Se a "verdade" fosse aquilo que posso entender - terminaria sendo uma verdade pequena, do meu tamanho."
{Clarice Lispector, A paixão segundo GH}

Adoro a Clarice, adoro a Samia. ;)

Ótimo texto, como sempre.
E o final? Ui, arrepiay, emocionay, apaixonay.
E esse meu comentário tá ficando muito gay, HUASHASUHAS.

Beijo.

Tiffany disse...

muito divertido...um belo exemplo de tpm!

haha

Tem novo post no blog!

Beijos.

Pedro Ricelly disse...

Ah eu fico sempre boquiaberto com seus textos e não sei o que comentar ¬¬'
1bjo!

Matheus N. disse...

pra te beijar e você dizer.. cara, agora não. ASUEUSEHAS aiai :*

Charlie B. disse...

Ótimo!

Um belo texto...

=)

Anaa Bia ;) disse...

Eu sempre leio algo que to precisando ler, em dias como esse em que me sinto da mesma forma que você ! Que texto lindo, omg

saudade daqui *-*

beeijo ;*

Desirée disse...

Adoreiiii!
vou usar essa: 'desamarra logo essa cara e me bja!'.
Será que funciona?

Carola disse...

QUEEEEEEEE FOFO *-*