domingo, 31 de janeiro de 2010

Atipicidade

Eu poderia acordar amanhã e fingir um dia atípico. Andaria todas as ruas insípidas de todos os dias, ainda que não parecessem tão insípidas – eu não as sentiria assim. Eu poderia tomar o mesmo ônibus de todos os dias e encontrar os mesmos rostos indiferentes e distraídos de sempre. Inclusive o meu. Mas ele não seria tão indiferente; seria eu a diferença?

Eu poderia desamarrar minhas réstias de mágoas não-vividas e abrir um sorriso que despertasse outros. Eu poderia viver como sempre quis viver. Uma folha sôfrega, desprendendo-se da árvore, caindo ao chão árido, secando lentamente... E no primeiro vento sendo levada em uma dança misteriosa, que talvez só quem estivesse se desprendendo de suas árvores na mesma liberdade – e no mesmo quê de libertinagem -, pudesse compreender.

Posso? Quisera! Minha resignação não me permite tais delírios existenciais – quanto mais os deletérios. Meu juízo matracateia como se tentasse findar estes delírios que tiram a quietude do meu espírito, outrora tão pacífico - ou seria aprisionado? Desistência já esperada. As alegorias cotidianas, o não-querer-querendo, o viver-não-vivendo delimitam a costumeira falta de posse das minhas ações.

Tudo no fim torna-se epitáfio. Amanhã continuarei levantando sem acordar.

12 comentários:

Mell disse...

caara...se vc lançar um livro me avisa,pois compraria um com toda certeza...beijos

Erica Ferro disse...

Só esqueceu de uma coisa:

Para Erica Ferro, porque, minha filha, isso me tocou profundamente... Absolutamente tudo o que disseste.
Obrigada!

Beijo.

Tia Augusta disse...

sempre ha motivo para nao acordar. foda, se me levantar, preciso mentir

D'eu disse...

"abrir um sorriso que despertasse outros", nos faria acordar e viver verdadeiramente...
vc sempre incrível Sam 0/

Babizinha disse...

Lembrou a música do 7 Cidadão Quem:
"Pra que pensar se é mais fácil só reagir a tudo?
Pra que lutar se é mais fácil correr, fugir de tudo?"

Bateu aquela empatia com teu escrito!

Beijos
;*

Mah disse...

qrida.. qd lançar seu livro me avisa viu?! Vc escreve MUITO bem Parabens
Beijoss

Mαrih Menezes; disse...

Absurdamente bem escrito.
Palavras cuidadosamente selecionadas, dizendo algo simples e complexo ao mesmo tempo.
Sam, se você seguir uma carreira que não seja a de letras eu provavelmente vou te bater :)

Beijos :*

Pedro Ricelly disse...

Ia fazer um comentário lindo elogiando sua capacidade de escolher muito bem as palavras pra dizer coisas complexas entçao li o comentário acima:
"se você seguir uma carreira que não seja a de letras eu provavelmente vou te bater"

E é esse o meu recado, raaam.

Júlia disse...

Adorei, você escreve muito bem, parabéns!
"Talvez bater a porta na cara não seja sempre a única opção. Talvez..."
www.mamae-dizia.blogspot.com

Ricardo de Lima disse...

Mana tá mal mesmo hein!!!
rsrsrsrrss...brincadeira... Já é escritora ñ tem como fugir!

Larissa disse...

Seus textos são incríveis! SEmpre me identifico, sempre.
Parabéns!
;*

Ruby disse...

Eu poderia continuar sonhando os meus sonhos, se muitos deles hoje não tivessem sido abortados.

Soberbo!