segunda-feira, 15 de agosto de 2011

(Nosso)

Sabe, escrever sobre você nunca foi fácil.

“Pára de fantasiar, isso é longe demais da tua realidade, sai dessa!”. Não sei porque discutia tanto comigo mesma. Pior, sei que o faço de teimosia mesmo – você sabe melhor que todo mundo –, por ter o péssimo ato de entrar de cabeça em tudo o que me encanta assim, de primeira vista, e que me dá aquele fiapo de alegria sincera, daquelas que se tornam constantes por dias a fio.

Desde o começo, era difícil compreender aquela torrente de sentires novos, que percorriam meu cérebro a 300km/h e, principalmente, me deixavam completamente desarmada. Eu, que sempre achava que podia “diagnosticar” tudo o que sentia e ter uma palavra sobre cada pessoa, momento ou ocasião, me encontrava diante de um enigma, dum todo que eu conhecia muito menos do que gostaria. Ainda acho que o medo seja o primeiro instinto verdadeiro, seguido pela curiosidade e pelo maravilhamento. E quanto mais eu pensava “caralho, o que tá acontecendo comigo”, maior era a minha fascinação sobre o seu Eu e a sua história.

Paralelo a esse magnetismo que até então eu desconhecia, vinha esse seu entrar na minha, numa profundidade que eu jamais havia sentido. Em um espaço de tempo no qual não sei determinar, você se tornou essencial no meu viver. Mais: arrisco dizer que você se tornou parte de mim, um pedaço tão fundamental como qualquer outro. Só assim eu poderia explicar o vazio imenso que me toma a cada vez que saio de perto de você.

Talvez seja por isso que eu não consiga te (d)escrever. Você roubou todas as minhas palavras naquela tarde na Consolação. Agora, minhas letras são todas suas.

8 comentários:

João Esteves disse...

Muito bem, Sam. O que termino de ler deixa-me um sobregostinho, sabe?
Parece monólogo de divã, num dado momento. Declaração de amor a não sei quem (mas a alguém de sorte, na certa, que o amor não é pouco não) em outro. Ao fim todas as impressões equilibradas num só "quero ler mais" de que seu "Meio Bossa Nova e Rock 'n Roll" provavelmente há de cuidar. É só eu voltar, então. Eu volto.

angel red disse...

Mt legal seu texto. Esse misto de sentimentos nos deixa baratinados e encantados. Nos sentir vivos. A descoberta de td isso é mt bom. Boa asorte.

Rebeca Postigo disse...

=]
Estou sem palavras para o que eu li...
Apenas digo que gostei!!!

Bjs

Gabriela Freitas disse...

Intenso, do jeito que eu gosto.

Marina Guido disse...

Lindo, Sam!

Larissa disse...

que saudades que estava dos seus textos lindos e intensos.

dominique disse...

oi, sou amiga do Victor Dantas!!! Adorei seu blog, vc tem facebook?

Jéssica Cruz disse...

Sempre gostei de guardar os pedaços, mas de um tempo pra cá tenho me desapegado! Talvez tenha me completado e já não preciso dos fragmentos!