segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Fotossíntese

Por maior que seja minha alegria
Não consigo dispensar a melancolia
de um cigarro [bem tragado
No parapeito da minha janela

Engulo a fumaça
Baforo minha tristeza
O vento frio carrega as cinzas
Espalha-as na cidade quase
                                         adormecida]

Respiro as tristezas de outros
Talvez tão solitários
Talvez tão simplórios
Quanto o meu cigarro infeliz

Odeio o amargo da fumaça
Na minha boca
Mas gosto de beijar bocas
Contaminadas pelo dissabor do fumar

                                                    [Viver é uma eterna fotossíntese de nicotina]

Um comentário:

Dinho Negaba disse...

Gostaria de conhecer a melodia, se é que existe, se não existe, posso tentar fazer uma???

Dinho Negaba
email: dinhonegaba@gmail.com